De Berlim a Wittenberg: como ir e o que fazer na cidade de Lutero

Wittenberg - Agenda Berlim

Wittenberg é uma bela cidade histórica próxima a Berlim


Wittenberg, um resumo histórico


Wittenberg antes de Lutero

Claro que a cidade de Wittenberg é diretamente relacionada à Reforma Protestante. E deve ser.

Mas mesmo antes de Lutero supostamente pregar suas 95 teses na porta da Igreja do Castelo (Schlosskirche), a cidade já se destacava dentro do ducado da Saxônia e do Sacro Império.

Ainda por volta do ano 1100 D.C, o mesmo Albrecht I, o Urso, considerado um dos fundadores de Berlim, deu origem à cidade de Wittenberg. Ele era da dinastia dos Ascânios, e dominou grandes regiões dessa parte da atual Alemanha.

Um dos descendentes do Albrecht I, em 1273, declarou que a cidade de Wittenberg deveria ser o local de memoria. Esse seria um lugar para celebrar os falecidos, bem no antigo monastério da cidade.

A partir daí Wittenberg se torna o centro das posses dos Ascânios, uma cidade residencial da nobreza.

Com a morte de Albrecht III, em 1422, os ascânios perdem o domínio do ducado e a linhagem dos Wettin assume o controle. Com isso, Wittenberg perde boa parte de sua importância.


Wittenberg na época de Friedrich, o Sábio

Em 1486, Friedrich, o Sábio, torna-se o príncipe-eleitor da Saxônia.

Curiosidade: ele era da linhagem dos Wettin, assim como ainda hoje a Rainha Elizabeth II da Inglaterra e o Rei Felipe da Bélgica.

Logo que Friedrich assume, ele escolhe Wittenberg como local de sua residência. A cidade volta a ganhar a importância de outrora.

Ele ordena a construção de um novo palácio e funda, em 1502, a universidade de Wittenberg.

E isso porque para administrar todo um principado, você precisava de um corpo administrativo com boa formação.

Daí a necessidade de se construir uma universidade na residência do príncipe-eleitor.


A universidade de Wittenberg

Foi uma das universidades mais importantes dentro dos territórios alemães. Tão importante, que o personagem Hamlet, de Shakespeare, teria estudado lá. Mas a peça do dramaturgo inglês se passa numa época em que a cidade de Wittenberg nem existia.

Se você entrar no pátio da antiga universidade, você verá várias plaquinhas brancas nas paredes. Cada uma dessas plaquinhas é em homenagem a uma pessoa ilustre que passou por ali.

Lutero morou em Wittenberg a partir de 1511, quando obteve o título de doutor em teologia.


A cidade muda com a Reforma Protestante

Wittenberg sofre enormes mudanças com a Reforma Protestante.

De repente, torna-se um local de visitação de grandes estudiosos de toda a Alemanha. As pousadas locais estão sempre cheias e movimentadas. As casas dos professores e a universidade atraem gente de toda parte.

Uma das principais atividades econômicas de Wittenberg é a prensa.

Gráficas chegaram a empregar dois a cada três dos moradores da cidade. Homens fizeram fortuna nessa atividade.

A obra mais impressa da época era a tradução da bíblia de Lutero para o alemão.


Wittenberg nos séculos XVII e XVIII

Wittenberg sofreu nesses períodos. Durante a guerra dos 30 anos (1618-1638), assim como Berlim, foi assolada pela peste. Populações de vilarejos nos arredores procuravam abrigo na cidade e as condições foram ficando cada vez mais difíceis.

Na guerra dos 7 anos (1756-1763), mais de 100 anos após a dos 30, Wittenberg sofreu grandes perdas. Uma delas foi o irreparável incêndio do castelo, da igreja do castelo e da porta das teses, local onde Lutero supostamente pregara suas 95 teses.

E tudo isso por conta da Prússia. O poderoso reino de Friedrich II, o Grande, tomou a cidade. Com isso os inimigos das tropas austríacas bombardearam a cidade fortemente. Foi nesses bombardeios que, infelizmente, foi perdida a porta das teses.


Wittenberg no século XIX

Em 1806 Napoleão vence contra o exército comum da Saxônia e Prússia nas batalhas de Jena e Auerstedt (foi nesse mesmo ano que Napoleão desfila pela Unter den Linden e leva a estátua de cima do Portão de Brandemburgo).

Por conta disso, o príncipe-eleitor da Saxônia se submete a Napoleão de uma maneira considerada posteriormente como covarde.

A Saxônia entra para a Federação do Reno, organização aliada ao imperador dos franceses, e, com a aprovação de Napoleão, torna-se um reino. A partir daí temos o reino da Saxônia, até então um principado.

Quando Napoleão e suas tropas são derrotadas, acontece o chamado Congresso de Viena, em 1814. Nisso os vencedores estabeleciam, entre outras coisas, quem pegava que território. Como a Saxônia se uniu a Napoleão, perdeu mais da metade de seu território.

E boa parte desse território foi… pra quem? Adivinha?

Pra Prússia!

Incluindo Wittenberg.


Wittenberg sob a Prússia

A primeira medida do rei da Prússia, Friedrich Wilhelm III, foi unificar a universidade de Wittenberg com a universidade de Halle/Saale.

Basicamente a universidade foi fechada.

Alguns de seus prédios foram utilizados como quartéis pelos exércitos prussianos.

Como compensação, Wittenberg ganhou uma escola para pregadores. Ainda hoje funciona, e quem pretende ser pastor, pode passar um tempo estudando por lá.

Pelo menos, já no final do século XIX, uma grande reforma (praticamente reconstrução) da Igreja do Castelo foi feita.

Claro que a Prússia utilizou de profundos simbolismos políticos nessa medida, como a colocação do brasão de vários nobres aliados.

A ideia prussiana na reconstrução dessa igreja foi unificar todas as correntes dissidentes do protestantismo sob um mesmo teto, o teto da igreja prussiana, cuja cabeça era o próprio rei da Prússia.

Fazia parte da obsessão desse reino unir o poder temporal e o espiritual.

A igreja é reinaugurada em 1892.


Wittenberg hoje

Wittenberg - Agenda Berlim

A cidade de Wittenberg mantém o seu charme

Diferentemente de Berlim, Dresden e tantas outras cidades alemãs, Wittenberg não foi destruída na segunda guerra mundial.

O que dá a você, que está em Berlim, a chance de conhecer uma cidade mais “original”.

É uma cidade linda, vale a pena conhecer, mesmo se você não é protestante nem se interessa muito profundamente pelo tema. Claro que a cidade tem imagem de Lutero pra todo lado, mas não se resume a isso.

Curioso é que, por conta dos 40 anos de Alemanha Comunista, boa parte dos quase 50.000 moradores de Wittenberg não tem religião.

Uma das pessoas que nos receberam no centro de informações disse que apenas 15% dos habitantes são religiosos.

Eu já escrevi sobre esse fenômeno de baixa religiosidade na antiga Alemanha Oriental.

Nesse ano, 2017, comemoram-se os 500 anos da Reforma. E a cidade está cheia de eventos, com gente do mundo todo, esperando você.

Mas vamos finalmente aos pontos turísticos de Wittenberg…


De Berlim a Wittenberg: o que ver na cidade de Lutero


Schlosskirche – A igreja do Castelo de Wittenberg

Wittenberg Igreja do Castelo - Agenda Berlim

Indo de Berlim a Wittenberg com pouco tempo, a Igreja do Castelo é talvez o ponto mais imperdível.

A partir de 1489, Friedrich, o Sábio construiu um palácio em estilo renascentista, onde moraria. Anexada ao castelo, foi também construída a igreja palaciana, a Schlosskirche.

Como ele precisava de pessoas preparadas para administrar suas terras e cidades, criou uma universidade ao lado de sua residência.

Em 1503, a igreja do castelo vira também a igreja da universidade. Isso significava que os estudantes tinham o privilégio de conviver com a nobreza bem de perto. A Schlosskirche era comumente utilizada para cerimônias acadêmicas e eventos importantes, além de, claro, para as missas.

Logo quando Lutero começa a morar em Wittenberg, ele frequenta a Schlosskirche, já que era membro da universidade.

Foi na porta dessa igreja que Lutero supostamente pregou suas 95 teses. Sim, supostamente.


A porta da igreja do Castelo e as 95 teses

Wittenberg Igreja do Castelo Porta das 95 teses - Agenda Berlim

A famosa porta das 95 teses

Era comum entre os estudantes e professores de Wittenberg, numa época sem blogs, redes sociais e fóruns de discussão, pregar teses nas portas da universidade.

As teses na época não passavam de frases com ideias controversas, motivos de debates.

E havia uma pessoa responsável pela tarefa de pregar as teses para discussão nas portas.

Era uma espécie de zelador do prédio, chamado de Pedel em alemão. Então, provavelmente foi esse tal Pedel que colocou as 95 teses a pedido de Lutero.

Infelizmente, como já dito na parte histórica acima, a porta das teses não existe mais.

Ela foi incendiada durante bombardeios na guerra dos 7 anos.

Mas a boa notícia é que toda a armação da atual porta de bronze, assim como algumas partes da igreja são originais.

No local da porta das teses, há outra porta, de bronze, presente do rei da Prússia para a cidade de Wittenberg.

De um lado está Lutero, com sua tradução da bíblia para o alemão e do outro, Melanchton, com a confissão de Augsburgo, ou confessio augustana.

O que mais chama atenção na parte externa da Schlosskirche é  a torre.

Reconstruída na época do domínio prussiano, ela mostra um trecho muito conhecido, tirado dos hinos de autoria de Lutero.

Ein feste Burg ist unser Gott”, Castelo forte é o nosso Deus.  Um grande amigo presbiteriano, Edson, vivia cantarolando essa música. Sempre me lembro dele.

Se você curte coral, dá o play enquanto termina de ler o post:


Dentro da igreja do castelo de Wittenberg

Wittenberg Igreja do Castelo - Agenda Berlim

A entrada na Schlosskirche é gratuita

Dentro da Igreja do Castelo você vai encontrar uma série de brasões, de nobres aliados da Prússia, assim como de artistas participantes da Reforma Protestante.

A Prússia, durante a reconstrução do prédio, tentou reunir todas as correntes do protestantismo sob uma única ideia, a ideia da união do poder temporal e do poder religioso.

E, talvez o mais importante, é o local de sepultamento de Lutero e de Melanchton.

Apesar de ter morrido em sua casa em Eisleben, o corpo do reformador foi trazido para Wittenberg e está lá até hoje.

 

Estátuas de vários reformadores e apoiadores decoram o interior da igreja. Destaque para Bugenhagen, primeiro sacerdote protestante ordenado.


As casas de Cranach e os pátios internos

Lucas Cranach era o artista da corte do Friedrich, o Sábio. Boa parte dos retratos de Lutero e da cidade de Wittenberg da época são desse pintor.

Ele ficou conhecido como um dos principais artistas da Reforma Protestante, já que retratou boa parte das grandes personalidades da época, pintou diversas telas de cenas religiosas e altares.

Apesar da fama de artista da Reforma, Cranach recebia encomendas de toda a parte da atual Alemanha, inclusive de nobres católicos.

Além de grande artista de seu tempo, Cranach foi também um grande empreendedor. E é também esse lado dele que você pode conhecer visitando o local onde ele morou.

Ele foi dono e gerente de uma importante gráfica da época. A gráfica funcionava no pátio de sua casa.

Entre outras obras, a gráfica imprimia em larga escala as traduções da bíblia de Lutero.

Note que essa era uma tecnologia extremamente moderna para a época. Gutenberg, o inventor da prensa móvel, havia morrido em 1468.

Hoje você pode entrar nessa parte da casa de Cranach e conhecer o processo de prensa que era originalmente utilizado.

A prensa é tida como uma das invenções mais importantes da idade moderna, já que propiciou a disseminação do conhecimento em toda a Europa.

Cranach conseguiu com o príncipe-eleitor o privilégio de ter uma farmácia, negócio bastante rentável naquele tempo.

Possuiu também uma loja de vinhos/restaurante.

E como se tudo não bastasse, ele ainda serviu como prefeito e tesoureiro de Wittenberg.

Tudo isso nos arredores dos mesmos pátios, os Cranach-höfe.

Ainda hoje é possível ver uma fonte, que funciona desde a época de Lutero (isso era um luxo inimaginável na época) e uma escultura em bronze de Cranach pintando Lutero.

Informações práticas sobre a Casa de Cranach

Endereço: Schlossstrasse 1

O pátio é aberto e gratuito.

A visita à parte da imprensa é gratuita, mas tem horário de funcionamento.

Seg–Sex, 09h–12h & 13h-17h
Sábado, 10h–13h30
Domingo, fechado.

A exposição sobre Lucas Cranach é paga. Custa 5 euros inteira e 4 euros com desconto.

Horário de funcionamento

De 1 de Abril até 31 de Outubro
Seg–Sáb, 10h–17h
Domingo, 13h–17h

De 1 de Novembro até 31 de Março
Ter–Sáb, 10h–17h
Domingo, 13h–17h


A casa de Melanchton (Melâncton)

Philip Melanchton

“Sem o conhecimento da história, a vida humana é de certa forma uma infância perpétua, de fato uma escuridão e cegueira permanente.”
Philipp Melanchton

Philipp Melanchton foi, ao lado de Lutero, um dos principais reformadores. Eles não só estão representados na porta da Igreja do Castelo, quanto estão sepultados lado a lado.

Melanchton foi um grande intelectual na época.

Neto de um rico comerciante, teve a oportunidade de entrar na escola de latim, em Pforzheim. Como demonstrou grande aptidão, logo começou a se aprofundar no estudo do grego.

Com apenas 13 anos de idade, o jovem “Filipe” começa os estudos na universidade de Heidelberg.

Em 1512, ele é transferido para a universidade de Tübingen (olha! eu também estudei lá…), onde começou o mestrado.

Por conta de boas recomendações, ele foi convidado por Friedrich, o Sábio, para compor a recém-criada universidade de Wittenberg, como professor de grego.

Em Wittenberg, ele conhece Lutero e, depois, ajuda-o na tradução do antigo testamento.

Depois da morte de Lutero, Melanchton continua como um importante reformador, sendo o autor da apologia a Confissão de Augsburgo, confissão oficial da fé luterana.

A casa/museu Melanchtohaus

Melanchton tornou-se um professor tão conhecido, que foi disputado entre várias universidades de renome por toda a Europa. Oxford e Cambridge fizeram ofertas. E dizem que ele quase cedeu.

Mas aí veio o príncipe-eleitor  e lhe ofereceu nada menos que construir uma casa de três andares para que Philipp permanecesse na cidade. E é nessa casa que você pode entrar.

A casa de Melanchton, hoje um museu

Ela foi toda construída em estilo renascentista, com arcos semicirculares e as armações de janelas e portas em pedra de arenito.

Boa parte da exposição lá dentro é uma reconstrução moderna de como era a vida por lá na época do reformador. Isso não nos agradou muito.

Interessante mesmo é você poder ler sobre Melanchton e perceber que a casa era utilizada para abrigar alunos que vinham de várias partes para estudar com o famoso professor e ficar na sua casa. Era um ambiente intelectual bem intenso.

Mas há também peças originais.

No segundo andar você encontra uma reprodução do quarto de Melanchton.

Uma das peças mais importantes talvez seja o forno de aquecimento, que data de 1550 e, provavelmente, foi desenhado por Lucas Cranach.

 

Além disso há uma grande quantidade de telas e documentos do reformador.

Nicole na Melanchtonhaus

E se for lá com um pouco mais de tempo, não deixe de contemplar o jardim que fica atrás da casa. Era um importante local de reflexão e meditação de Melanchton.

Informações práticas sobre a Casa de Melanchton

A visita custa 4 euros.

Endereço: Collegienstrasse 60

Horário de funcionamento

Abril a Outubro 
10h às 18h

Novembro a Março
Terça a Domingo das 10h às 17h
Segunda-feira é fechado


A prefeitura de Wittenberg e o mercado

Wittenberg Prefeitura - Agenda Berlim

Prefeitura de Wittenberg e mercado antigo

Na época em que o prédio da Prefeitura foi construído, entre 1520 e 1540, Wittenberg era uma cidade bem movimentada.

Além de a cidade ser a residência do duque da Saxônia, o sucesso da universidade era inquestionável e os negócios com impressão de livros ocupavam mais da metade dos habitantes.

O antigo prédio da prefeitura não era mais adequado às necessidades dos bem-sucedidos cidadãos de Wittenberg.

Nesses 20 anos, um prédio de muito bom gosto despontou na paisagem da cidade. Todo em estilo renascentista (um dos principais elementos são as janelas que simulam formato de cortina), foi ocupado por Lucas Cranach (sim o artista/empresário também foi prefeito).

No século XIX, estátuas de Lutero e Melanchton passaram a ornamentar a praça da prefeitura.

Wittenberg - Prefeitura - Agenda Berlim

Essa é a de Lutero

Curiosidade: o artista que fez as estátuas de Lutero e Melanchton, Johann Gottfried Schadow, é o mesmo que fez a quadriga, estátua que fica em cima do Portão de Brandemburgo.

A casa que fica na esquina da rua principal com a praça é o hotel Zur Goldene Traube, que serviu de acomodação para Napoleão.


A Lutherhaus – Casa de Lutero

Wittenberg - Casa de Lutero - Agenda Berlim

A casa de Lutero é com certeza um dos pontos mais importantes da cidade em termos históricos.

Se você tirar o dia para ir de Berlim a Wittenberg, não pode deixar de conhecer.

Foi aqui que Lutero morou por anos. 38, para ser mais exato. Em várias épocas diferentes de sua vida.

Na mesma casa ele morou como monge, como reformador, marido, pai de família e professor universitário consagrado.

Pois é, inicialmente o prédio abrigou os monges agostinhos, que foram convocados pelo Friedrich, o Sábio, para virem de Erfurt para Wittenberg, para que eles lecionassem na nova universidade.

Nesse mesmo local, assim como Melanchton, Lutero recebia e acomodava seus alunos provenientes de diversas partes da Europa.

Dizem que quando Lutero ia lecionar, até 400 alunos se amontoavam numa sala de 22 x 8 m!

Hoje a casa abriga o museu considerado o mais importante sobre a Reforma Protestante.

 

É o maior acervo existente sobre esse período. Muitas das obras de Lucas Cranach estão expostas por lá.

Talvez a parte mais famosa seja o quarto de Lutero, local onde ele passava boa parte do dia trabalhando, lecionando e debatendo os temas teológicos.

Quando você vai se aproximando desse cômodo, você já sente o cheiro da madeira.

 

Informações práticas sobre a Casa de Lutero

Endereço: Collegienstrasse 54

Horário de funcionamento
Abril a Outubro
seg–dom, 9.00–18.00 Uhr

Novembro a março
ter–dom, 10.00–17.00 Uhr
Segunda-feira é fechado

A entrada custa 8 euros para adulto e 6 euros com desconto.

Ticket de grupo (a partir de 10 pessoas, custa 6 euros por pessoa).

Há também o “combinado”, ticket de 2 dias que dá direito a entrar tanto na Casa de Lutero quanto na casa de Melanchton por dois dias. Esse custa 10 euros.


A igreja da cidade – Stadtkirche

Wittenberg - Stadtkirche - Agenda Berlim

Antes da reforma, a Stadtkirche era também conhecida como igreja de Santa Maria, St. Marienkirche, seu nome oficial até hoje.

A Stadtkirche é a igreja central de Wittenberg. Enquanto a nobreza e os estudantes frequantavam a Schlosskirche, os meros mortais ficavam na igreja da cidade.

Ela é considerada, e com justiça, a igreja mãe da reforma.

Foi nela que Lutero pregou mais de 2000 vezes.

Aqui também foi o local de seu casamento com Catarina von Bora. Evento extremamente marcante, uma vez que Lutero havia sido um monge agostinho e Catarina uma freira católica cisterciense, o que marcava de uma vez por todas a quebra com a Igreja Católica Romana.

Destaque na parte interna da igreja é para o altar. É uma das obras primas de Lucas Cranach, e mostra os três momentos mais importantes da fé Luterana: batismo, eucaristia e confissão.

O belo altar de Cranach

Na parte externa da igreja, na parte traseira do lado sul (lado que dá pra Collegienstrasse), há uma placa em pedra de profundo teor antissemita.

Placa antissemita e um memorial em resposta

É uma pedra que foi colocada mais ou menos em 1304, depois da expulsão da população judia. Ela representa os filhos de um rabino mamando numa porca.

Para quem não sabe, o porco é considerado animal impuro para os judeus e comer sua carne é altamente proibido. Daí dá pra notar o alto teor ofensivo da placa.

Claro que já houve uma grande discussão na cidade sobre tirar a placa de lá. Mas é que, infelizmente, faz parte da história.

Decidiram não tirar.

Mas foi também decidido colocar um memorial, logo abaixo da placa antissemita, em resposta.

Trata-se de quatro pedras quadradas que tentam esconder algo sob o chão. Mas não é possível escondê-lo. As quatro pedras juntas formam uma cruz, como que no rejunte.

Uma cruz suástica poderia estar facilmente sendo escondida, mas sem sucesso.


Como ir de Berlim a Wittenberg


A forma mais prática de fazer o bate-volta de Berlim a Wittenberg é de trem. É confortável, prático, rápido e econômico.

Nós pegamos um trem regional e pagamos 25 euros. E custa o mesmo para até 5 pessoas! Sai bem em conta.

Basta adquirir o passe chamando Berlin-Brandenburg-ticket, ele custa 25 euros para grupos de até 5 pessoas e valem para o dia inteiro (ou seja, você vai usá-lo na ida e na volta).

Com esse passe, você pode pegar o trem regional que sai tanto da estação central de Berlim, a Hauptbahnhof, quanto da estação Südkreuz, e vai a Wittenberg. A viagem dura cerca de 1h20.

Para ver um tutorial ensinando a comprar passagens pelo site da empresa de trem da Alemanha, basta clicar aqui.

Para abrir a página da Deutsche Bahn com as opções de passes dos estados alemães, basta clicar aqui. Entre eles, você seleciona o Regional Day Ticket for Berlin and Brandenburg e prossegue com a compra.


Bônus: vídeo do nosso bate-volta de Berlim a Wittenberg


Nicole fez vídeos para o Instagram Stories num bate-volta de Berlim a Wittenberg. Juntamos todos e lançamos no Youtube.

Mas se você quiser acompanhar os vídeos ao vivo e no dia do lançamento, segue a gente no instagram. A maioria dos stories ficam só por lá.

Segue o vídeo de Berlim a Wittenberg que postamos no nosso canal do Youtube:

Queremos agradecer o apoio da secretaria de turismo do estado de Sachsen-Anhalt e da cidade de Wittenberg, por ter-nos oferecido um tour histórico e os tickets para museus e igrejas da cidade.


Fontes

Livro Lutherstadt Wittenberg – A guide to the famous sights (vendido no centro de informações)
Livro Martin Luther – Rebel and Reformer (vendido no centro de informações)
Livro Wittenberg Castle Church – The Reformation Memorial Church (vendido no centro de informações)
Tour que fizemos pela cidade fornecido pelo centro de informações turísticas de Wittenberg
Elementos do altar de Cranach no site Denkwege zu Luther e no site Theomag (ambos em alemão)
Site Lutherstadt Wittenberg com explicações sobre a casa de Cranach
Site Lutherstadt Wittenberg sobre a Leucorea, a universidade antiga de Wittenberg
Museus e igrejas visitadas


Que tal fazer um bate-volta de Berlim a Wittenberg com a gente?


Teremos muito prazer em acompanhar você e sua família ou seu grupo em um bate-volta de Berlim a Wittenberg.

Pela sua beleza e seu charme, Wittenberg é uma cidade que vale a pena conhecer mesmo se você não se interessa pela temática da Reforma protestante.

Entra em contato para combinarmos o nosso passeio por Wittenberg:

Seu nome

Seu e-mail (obrigatório)

Quando você gostaria de fazer o passeio?

Quantas pessoas serão?

Sua mensagem

 


Pots relacionados

Como ir de Berlim a Dresden e o que fazer por lá
Berlim: a paz não começa com o fim da guerra
O que danado é a Prússia?
Religião na Alemanha: um país protestante?

Quem sou eu: Pacelli

Economista, mas apaixonado por filosofia, literatura, história e alta cultura, resolvi estudar os temas que aprecio em casa. Sempre procuro incluir essas temáticas nos meus posts sobre Berlim e Alemanha que você encontra por aqui.


Vale a pena comprar antecipadamente:


Que tal conhecer Berlim com a gente?

Nós saímos do Brasil e viemos para Berlim para iniciar uma atividade que nos traz muita felicidade: apresentar a vocês a cidade pela qual somos apaixonados.

Guia em Berlim, Passeio guiado em Berlim

Então se você está com viagem marcada para a capital alemã, entra em contato com a gente que será um prazer te acompanhar pela cidade mais interessante do mundo!


Não nos perca de vista! 

Pra receber em seu e-mail as novidades de Berlim e nossos posts completos é só assinar a nossa Newsletter.

Segue a gente no Facebook e no Instagram também!


Você quer organizar a sua viagem e ainda contribuir com o blog?

Você curte o nosso trabalho, pegou dicas legais aqui e gostaria de contribuir de alguma forma?

Nós fazemos parte de alguns programas de afiliados de empresas que conhecemos e confiamos. Se você usar algum de nossos links afiliados, nós ganhamos uma pequena comissão sem que você pague nada a mais por isso.

Não é massa?! Então abre e salva aí os nossos links no navegador de vocês:

Você pode usar esses links a qualquer momento e para qualquer tipo de serviço em qualquer lugar. Lembre-se apenas de salvá-los com o nosso número de afiliado ou de voltar aqui sempre que quiser usar algum deles.

A gente agradece de coração e interpreta como um sinal para continuar o trabalho por aqui! :)


Compartilhe o nosso trabalho:

Falar do nosso trabalho, comentar e compartilhar com os amigos é uma ótima maneira de nos ajudar a crescer!

Então vai lá, fala da gente pra alguém hoje... :)

3
2

2 Comments

  1. Jonathan R A 23/08/2017 Reply

    Muito interessante o blogue e esta postagem. Devo visitar Wittenberg este ano. Vocês são protestantes?
    Sei que foge um pouco do foco do blogue, porém uma visita e consequente postagem sobre Constança – tanto a cidade quanto o lago – seria interessante. Uma região bem bacana!
    Gostei bastante da postagem sobre como comprar passagem de trem. Já havia andado pela DB antes, porém não sabia da opção do stop-over, e provavelmente devo ter pagado a mais em algum momento.

    • Nicole 26/08/2017 Reply

      Olá, Jonathan! Fico feliz que tenha curtido o post sobre Wittenberg! Nós somos católicos, mas gostamos de história, então estudamos a Reforma Protestante sob o ponto de vista histórico e filosófico.
      Nós já fomos a Konstanz, Pacelli morou na região de Baden-Württenberg. Mas de fato ainda não entra tanto no escopo do blog… em breve pretendemos ampliar as regiões abordadas por aqui. 😉 Obrigada pela sugestão.
      Abraços!

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*