A romântica e medieval cidade de Quedlinburg

Quedlinburg, a primeira capital alemã 

Quedlinburg

Garanto que você nem imaginava que essa cidadezinha foi a primeira capital da Alemanha 

Sim, é isso mesmo que você leu. Na época em que o primeiro rei da Alemanha estava em Quedlinburg, Berlin não passava de um pântano (significado do nome Berlim).

De acordo com a lenda da cidade, quando o duque da Saxônia, Henrique, descobre que havia sido eleito para ser o primeiro rei da Francônia Oriental (mais ou menos a atual Alemanha), ele estava em Quedlinburg pegando passarinhos. Daí sua alcunha, traduzindo para o português, de Henrique, o passarinheiro.

Isso aconteceu em 919. Isso mesmo, não esqueci o “1” na frente. Século X, portanto.

Isso significa que Quedlinburg é uma cidade muito, muito antiga, até mesmo para os padrões alemães.

O rei Henrique I (Heinrich I.) é considerado o fundador da dinastia ottoniana. Dinastia essa que tem esse nome por conta dos nomes de seus filho, neto e bisneto, Otto I, II e III respectivamente. Essa foi uma dinastia importantíssima, que governou largas porções territoriais, impediu as invasões húngaras na região e manteve certa unidade. A dinastia ottoniana durou de 919 até 1024.

Ruazinha e canal em Quedlinburg

Ruazinha e canal em Quedlinburg

História da Quedlinburg medieval

A cidade já é mencionada desde o ano de 922. Foi escolhida pelo já mencionado Henrique I, o primeiro rei da Alemanha, como local onde ele deveria ser sepultado.

Quando Henrique morreu, em 936, seu filho, Otto I, assume o trono. A consorte de Henrique, Mathilde, pede ao filho, o rei Otto I, para transformar o local de sepultamento do marido num convento.

Essa Mathilde é ninguém menos que Santa Mathilde. Ela foi a primeira senhora do convento e de toda Quedlinburg por 30 anos.

A abadia funcionou por quase 1.000 anos e educou moças da nobreza de toda a Alemanha. Até hoje, Quedlinburg é considerada uma cidade de mulheres fortes, já que nas redondezas sempre foram elas que mandaram. Além do mais, elas eram muito mais bem educadas do que os homens. Enquanto elas aprendiam latim lendo todos os clássicos, os homens aprendiam a cavalgar e usar a espada.

Boom econômico e potência comercial

Sem grandes ameaças externas (Otto I acaba com as invasões húngaras e torna todos os duques em seus súditos) e com a política interna relativamente pacificada, Quedlinburg goza de um boom econômico.

Entre os séculos X e XIII Quedlinburg foi uma das mais importantes cidades imperiais. Cerca de 70 reis e imperadores passaram pela cidade somente nesse período.

Em 1326 a cidade se junta com Halberstadt e Ascherslebenpara formar a confederação das 3 cidades, a Dreistätdebund. 60 anos mais tarde, Quedlinburg entra na Liga da Baixa Saxônia e, em 1426, na poderosa Liga Hanseática.

Conflito da cidade com a abadia

Com esse boom econômico e com a entrada na Liga Hanseática, os comerciantes de Quedlinburg começam a se achar importantes e querem a independência da abadia (sim, a abadessa mandava na cidade).

Já em 1435, os mercadores haviam construído um Roland, uma estátua com forte significado de liberdade burguesa.

Em 1477, os cidadãos pegam em armas e tentam expulsar a abadessa, Hedwig von Sachsen. Considere que a população de Quedlinburg na época era de algo entre 8 e 10 mil pessoas. A revolta aparentemente daria certo, afinal, eles tinham que expulsar apenas mulheres de um convento/abadia, né?

Os rebeldes só não contavam com um detalhe: Hedwig tinha irmãos mais velhos, e eles eram duques da Saxônia!

Aí já viu!!! Os duques, Ernst e Albrecht, vieram com tudo para proteger a irmãzinha. 80 cidadãos de Quedlinburg morreram. Os duques não perderam nenhum de seus homens!

Claro que depois disso a estátua do Roland foi destruída.

Quedlinburg

A cidade de Quedlinburg se entregando à abadessa Hedwig da Saxônia. Artista desconhecido.

Idade Moderna

Reforma Protestante

O evento mais marcante do início da Idade Moderna na Alemanha foi, sem dúvidas, a Reforma Protestante. Tudo começa na cidade de Wittenberg, em 1517, quando o então monge Martinho Lutero, prega suas 95 teses na Igreja do castelo. (Nós temos um post completíssimo sobre Wittenberg, a cidade da Reforma. Fica a uma hora e meia de distância de Berlim)

A Reforma chega rapidamente até Quedlinburg e a cidade se converte ao protestantismo em 1539.

A abadia se torna uma abadia livre, evangélica e secular, mas, de alguma maneira, o Papa ainda tinha influência por lá.

A Guerra dos 30 anos

Essa foi uma das guerras mais terríveis em território alemão. E olhe que estamos falando de Alemanha. Foi uma guerra inicialmente de cunho religioso e que depois se mostrou ligada a diversos interesses. Pretendo e breve escrever um post somente sobre esse episódio da história alemã.

Fato é que a guerra foi de 1618 até 1648. Algumas cidades alemãs chegaram a perder quase 90% de sua população. Berlim, relativamente pouco afetada, perde metade de seus habitantes. Escrevi brevemente sobre os efeitos dessa guerra para Berlim no meu post sobre a Prússia.

Por incrível que pareça, para Quedlinburg, a guerra dos 30 anos tem um efeito contrário. Isso porque várias cidades no seu entorno estavam sendo atacadas e sofrendo muito durante o conflito, o que fez com que os cidadãos vizinhos fossem buscar abrigo na cidade da abadessa.

A população de Quedlinburg aumenta nesse período. É por isso que grande parte das atuais construções da cidadezinha são dessa época.

Quedlinburg

Igreja do São Nicolau

Quedlilnburg

Casinhas em Quedlinburg

Idade Contemporânea

Depois da Revolução Francesa, Napoleão sai dominando a Europa toda. Os exércitos conjuntos da Prússia e da Saxônia são derrotados, em 1806, na batalha de Jena-Auerstedt (até aquele momento, talvez tenha sido a maior batalha história).

Com isso a Saxônia é obrigada a entrar na Liga do Reno, uma confederação alemã fantoche de Napoleão.

Nessa época, o convento é dissolvido, depois de quase 1.000 anos.

Quando a Prússia consegue, em conjunto com a Rússia, Suécia e Áustria derrotar Napoleão, esses países redesenham o mapa europeu no Congresso de Viena. E como a Saxônia ficou muito tempo do lado dos franceses, a Prússia quis pegar boa parte de seu território.

Quedlinburg passa, portanto, assim como Wittenberg, a fazer parte do Reino da Prússia.

Quedlinburg nos tempos do nazismo

O poderoso Himmler, que tinha como primeiro nome Heinrich (Henrique), estabelece uma espécie de culto ao rei em 1936, quando dos 1.000 anos da morte do Henrique I. (A gente sabe que os nazistas eram fissurados nessa ideia de 1.000 anos).

Alguns conhecidos de Himmler afirmavam que o nazista se via como reencarnação do Henrique I.

A Igreja do convento, passou a ser utilizada para cerimônias obscuras da SS.

Felizmente, durante a Segunda Guerra, Quedlinburg passa fisicamente quase incólume.

Pós-guerra

Depois da Segunda Guerra, Quedlinburg fica dentro do território ocupado pela União Soviética. Quando a Alemanha é dividida em 1949, a cidadezinha faz parte da Alemanha Oriental.

Durante os protestos de 1989, que culminaram na queda do muro de Berlim, Quedlinburg registra os maiores protestos proporcionalmente a sua população.

Mas, infelizmente, os tempos depois da queda do muro de Berlim não foram nada felizes para a cidade.

Boa parte dos jovens saíram de lá para buscar melhores oportunidades. A população só fez decrescer desde o início dos anos 90. A cidade que teve uma população acima dos 30.000, hoje tem menos de 25.000, e com tendência de queda.

Patrimônio Cultural da Humanidade

Apesar das dificuldades pelas quais Quedlinburg passa, ela é hoje Patrimônio Cultural pela UNESCO. E isso desde 1994.

De lá pra cá, algum dinheiro entrou nos cofres da cidades e várias reformas e renovações importantes foram realizadas.


Dicas de Quedlinburg

Prefeitura

Prefeitura renascentista em Quedlinburg

Prefeitura renascentista em Quedlinburg

Nesse local já havia uma prefeitura desde, pelo menos, 1310. No início do século XVII houve uma grande reforma que deixou o prédio com a atual aparência, em estilo renascentista. Logo na entrada podemos ver o brasão da cidade, com  abadia e suas duas torres representadas. Olhando de frente, logo à esquerda, você verá a estátua do Roland (aquela mesma estátua que foi destruída em 1477 depois da revolta contra a abadessa), reencontrada em pedaços no século XIX e remontada onde hoje se encontra. Esse prédio abriga a administração da cidade de Quedlinburg até hoje.

Abadia

Abadia de Quedlinburg

Abadia de Quedlinburg

É a construção que deu o destaque à cidade de Quedlinburg. Quando o rei Henrique morreu, em 936,  a consorte de Henrique, Mathilde, pede ao filho, o rei Otto I, para transformar o local de sepultamento do marido num convento. Toda a história da cidade está ligada a essa igreja.

Vista da abadia em Quedlinburg

Vista da abadia

Igreja de São Brás (evangélica)

Altar barroco da Blasiikirche em Quedlinburg

Altar barroco da Blasiikirche

Foi nos arredores dessa igreja (St. Blasiikirche) onde surgiu um dos assentamentos de Quedlinburg. É uma das atrações imperdíveis. No ano de 1715 ela foi quase completamente reformada, ganhando suas características barrocas atuais. Destaque para o altar também nesse estilo em vermelho, dourado e branco e para a parte superior em madeira envernizada com mel. Hoje a igreja não tem mais funções religiosas, servindo hoje como casa de concertos e eventos.

Igreja do Mercado – Igreja de São Bento (evangélica)

Marktkirche Quedlinburg

Marktkirche Quedlinburg

Igreja central da vida dos comerciantes de Quedlinburg. Foi construída inicialmente por volta do ano 1000 ainda em estilo românico, mas possui elementos do gótico tardio. Legal é que no interior você encontra várias obras em estilo barroco. A Igreja do Mercado mostra diferentes estilos de vários séculos. É um excelente exemplo de tudo que você pode encontrar em Quedlinburg.

Schuhhof (pátio dos sapatos)

Schuhhof Quedlinburg

Schuhhof, pátio do sapato. Muito bonitinho

Um dos conjuntos de casinhas mais antigos de Quedlinburg. Há 800 anos já havia menções do pátio onde vários sapateiros tinham suas oficinas e aonde os moradores locais iam para comprar sapatos. É, sem dúvidas, um dos pontos mais pitorescos da cidade.

schuhhof quedlinburg

Olha só quem tava nos espionando

Igreja do São Nicolau

Outro ponto que vale a pena conhecer é a Igreja de St. Nikolai, que fica na parte menos restaurada da cidade. Essa parte é interessante, pois se pode ver como as casas de Fachwerkhaus são sem as reformas.

A igreja do São Nicolau fica na parte nova de Quedlinburg. Isso quer dizer século XIII, lá pra 1200.

Igreja St. Nikolai (à esq) e Pacelli com fachadas de casas não restauradas (à dir.)

Igreja St. Nikolai (à esq) e Pacelli com fachadas de casas não restauradas (à dir.)

Destaque da igreja para o altar em estilo barroco, com belíssimas esculturas dos quatro evangelistas e para a escultura do anjo de batismo.

O anjo de batismo era uma peça auxiliar para um efeito cinematográfico nas cerimônias de batizado. No ato do batizado ele baixava e subia de acordo com a música e a cerimônia.

Altar (à esq.) e Anjo de batismo (à dir.) na Igreja St. Nikolai

Altar (à esq.) e Anjo de batismo (à dir.) na Igreja St. Nikolai

Onde comer e beber

Cervejaria Lüdde

Cervejaria Lüdde em Quedlinburg

Cervejaria Lüdde

É a cervejaria mais tradicional de Quedlinburg. Ambiente bem típico com barris de cerveja de bronze e partes da pequena fábrica diante dos seus olhos. Eles servem uma cerveja de receita antiquíssima, a Pubarschknall.

Em relação a essa cerveja, a Pubarschknall… o nome é tão bizarro que eu tenho vergonha aqui de dizer.

Mas vamos lá. Primeiramente ela é uma cerveja de baixíssimo teor alcoólico, 1% ou menos. Significa que ela é pouco fermentada.

Significa também que a fermentação ocorre dentro de você!!!

Sim, isso mesmo. Ela é levinha em termos alcoólicos, mas se prepare. Voltando ao nome da cerveja. PubarschknallKnall seria explosão (estouro). Arsch é tipo ass do inglês, ou seja, bunda, traseiro. Então imagine agora o efeito dessa cerveja!!!

Pacelli adverte: em caso de lua-de-mel não peça essa bebida.

Cervejaria Lüdde em Quedlinburg

Cervejaria Lüdde – olha a carinha marota do senhor da foto. É um aviso!

Mas eles, claro, servem tipos “normais” de cerveja.

E pra acompanhar, um dos meus pratos preferidos de toda a Alemanha (nesse restaurante especificamente) é a Bierfleisch. Carne de porco cozida longamente na cerveja preta. Chega se desmancha. Tô com água na boca só de escrever isso aqui.

Comida alemã cervejaria quedlinburg

É muito bom!

Café Vincent

Nicole dentro e Pacelli à frente do Café Vincent

Terminando de almoçar, você vai precisar fazer a digestão. Principalmente se você pediu a Pubarschknall. Então vá subindo as ruas calmamente, admirando as casinhas em direção à abadia.

Quando chegar na frente da abadia sente-se no café Vincent. É que eles servem um dos cheesecakes mais tradicionais da Alemanha (o cheesecake alemão, ou Käsekuchen, é mais leve que a versão americana, menos gordurosa, e, para algumas pessoas, menos saboroso).

É um café muito pitoresco, e que tem uma vista linda da igreja de St. Servatius.

Aviso: Serviço costuma ser meio lentinho.

 

Vista para a colina do castelo (à esq.) e Convento (à dir.)

Vista para a colina do castelo (à esq.) e Convento (à dir.)

Como chegar em Quedlinburg a partir de Berlim

Trem para Quedlinburg

Trem para Quedlinburg

Com a própria Deutsche Bahn, você pode seguir de trens regionais para Quedlinburg.

Será necessário ir de Berlim a Magdeburg e de lá trocar para o HEX para Quedlinburg. Você pode ver todos os detalhes no site da Deutsche Bahn.

Para aprender a ver o roteiro e comprar sua passagem, dê uma olhada no nosso tutorial.

Caso você pretenda ir no fim de semana

Você pode ver o flyer do trem que vai para Quedlinburg aqui, ele sai de Berlim aos sábados e domingos de manhã cedo e à noite; e volta de Quedlinburg aos sábados e domingos no final da tarde.

O trem que vai pra Quedlinburg é o mesmo que vai pra cidade de Thale (é só ficar no vagão da frente do trem, pois eles se separam no meio do caminho).

Custa 15 euros só a ida, 19 euros ida e volta no mesmo dia, 25 euros ida e volta em dias diferentes. Duas pessoas (também com crianças até 14 anos) podem comprar o Familienticket (mesmo se não forem parentes) e viajam por 29 euros para ida e volta no mesmo dia ou 35 euros para dias diferentes (para os dois adultos juntos). Os bilhetes só podem ser adquiridos dentro do trem.

E se você está vindo para Berlim, não deixe de entrar em contato conosco e saber no que podemos ajudar. Nós ficaremos muito felizes em recepcionar você na cidade! 

Fontes

Site oficial da cidade

Informações obtidas in loco e materiais promocionais da cidade

 

 

Quem sou eu: Pacelli

Economista, mas apaixonado por filosofia, literatura, história e alta cultura, resolvi estudar os temas que aprecio em casa. Sempre procuro incluir essas temáticas nos meus posts sobre Berlim e Alemanha que você encontra por aqui.


Vale a pena comprar antecipadamente:


Que tal conhecer Berlim com a gente?

Nós saímos do Brasil e viemos para Berlim para iniciar uma atividade que nos traz muita felicidade: apresentar a vocês a cidade pela qual somos apaixonados.

Guia em Berlim, Passeio guiado em Berlim

Então se você está com viagem marcada para a capital alemã, entra em contato com a gente que será um prazer te acompanhar pela cidade mais interessante do mundo!


Não nos perca de vista! 

Pra receber em seu e-mail as novidades de Berlim e nossos posts completos é só assinar a nossa Newsletter.

Segue a gente no Facebook e no Instagram também!


Você quer organizar a sua viagem e ainda contribuir com o blog?

Você curte o nosso trabalho, pegou dicas legais aqui e gostaria de contribuir de alguma forma?

Nós fazemos parte de alguns programas de afiliados de empresas que conhecemos e confiamos. Se você usar algum de nossos links afiliados, nós ganhamos uma pequena comissão sem que você pague nada a mais por isso.

Não é massa?! Então abre e salva aí os nossos links no navegador de vocês:

Você pode usar esses links a qualquer momento e para qualquer tipo de serviço em qualquer lugar. Lembre-se apenas de salvá-los com o nosso número de afiliado ou de voltar aqui sempre que quiser usar algum deles.

A gente agradece de coração e interpreta como um sinal para continuar o trabalho por aqui! :)


Compartilhe o nosso trabalho:

Falar do nosso trabalho, comentar e compartilhar com os amigos é uma ótima maneira de nos ajudar a crescer!

Então vai lá, fala da gente pra alguém hoje... :)

27
38

38 Comments

  1. Ligia Fascioni 20/01/2013 Reply

    Adoro o blog de vocês e sempre indico como guia para quem vem a Berlim! Tenho algumas fotos da minha visita ao Harz onde passei por Quedlinburg também: http://www.ligiafascioni.com.br/2012/02/montanha-encantada/.
    Podem usar as fotos, se quiserem!
    Abraços e sucesso!

    • Author
      Pacelli Luckwu 20/01/2013 Reply

      Olá, Ligia. Que bom que vc gosta do blog. As suas fotos estão belíssimas. Pena que quando a gente foi tava chovendo demais, o que atrapalhou um pouco. Mas Quedlingburg é fantástica.

  2. Marcia Pina 20/01/2013 Reply

    Gostei Pacelli ! Obrigada pelo passeio hoje – fui muito bem apresentada à Berlim hoje e estou super animada! Vielen Danke (acertei?) rsrs

    • Author
      Pacelli Luckwu 20/01/2013 Reply

      Que bom que gostou. Apesar do frio! Hehehe! Quanto ao Vielen Danke, tá quase certo. O certo é sem o “e” do final. Ficaria “vielen Dank”. 🙂

  3. Eduardo Mamcasz 20/01/2013 Reply

    Oi dupla. Pode ser que a gente apareça em Berlim em maio outra vez. Estamos procurando um apê de um mês. Talvez o mesmo ou outro. O blog continua ótimo e prático. Abraços de Cleide e Mamcasz. Tchuss…..

    • Author
      Pacelli Luckwu 20/01/2013 Reply

      Oba! Entao a gente se encontra. É só avisar. Abraços pra vocês também.

    • Nicole Plauto 20/01/2013 Reply

      Que legal, Mamcasz! Avisem a gente quando estiverem por aqui! Se vocês quiserem, nos encontramos pra outro bate-papo! 🙂 Abraços nos dois!

  4. Márcia Melo 20/01/2013 Reply

    Que lugar charmoso, e com esse friozinho… Bjos.

  5. Marcus Carvalho 20/01/2013 Reply

    Muito bom o blog, vcs
    continuam a coquistar mais visitantes. Abraço.

  6. VaneZa NarciSo 21/01/2013 Reply

    Muito bom o post, coloquei esta cidade na minha lista.
    O fato da visita ter sido na chuva, pra mim, foi excelente, pois estarei em Berlim no mês de Dezembro e se o tempo estiver assim, valerá a viagem!
    Abs!

  7. Gianne 21/01/2013 Reply

    Adorei a matéria sobre Quedlinburg. Com muitas fotos e dicas super úteis. Fora as infos sobre os serviços, principalmente sobre transporte além de alimentação e estadia. O trem é bem em conta em comparação com os preços aqui no no sul. Parabéns ao Vivaberlin! Expandindo sempre. Abraços.

  8. Sônia 21/01/2013 Reply

    Adorei!!! Com certeza a cidade fará parte do meu roteiro na próxima visita à Berlim…:-)

  9. Beto P 22/01/2013 Reply

    Boa! Sempre bom saber quais boas viagens se pode fazer perto de Berlim. Vi que vocês tem outras sugestões, assim que deixo meu (de momento) top 5:
    – Dresden
    – Leipzig
    – Schwerin
    – Potsdam
    – Wismar

    Ainda não conheço Rostock ou outras cidadezinhas no Mar do Norte ou no Báltico.

    Abs.

    • Nicole Plauto 29/01/2013 Reply

      Obrigada pela colaboração, Beto! Concordamos com suas sugestões! Entre as que você citou, não conhecemos Wismar (já está nos planos, estamos esperando dias mais quentes para passear pelo litoral, rs) e Leipzig (é uma pena ainda não conhecermos, vamos com certeza em breve). Dresden e Schwerin são maravilhosas. E Potsdam não tem nem porque não visitar, já que fica tão pertinho e é uma cidade tão linda. Aos poucos vamos postando aqui nossas experiências nessas outras cidades de fácil alcance a partir de Berlim. 🙂

  10. vanessa zaccaro 29/01/2013 Reply

    Amei o blog e as dicas ,vale muito a pena ler para quem planeja se aventurar por Berlim e nunca foi , eu gostei das dicas dos pontos gastronômicos acho que não existe maneira melhor de conhecer uma cultura através da culinária , afinal culinária também tem história e é uma maneira muito mais divertida e diferente de saber um pouco mais a respeito.
    o blog ta de parabééééns 😀
    NOTA MILLL PRA VOCÊS :DDD

    • Nicole Plauto 29/01/2013 Reply

      Obrigada, Vanessa!! É verdade, também gostamos bastante de conhecer uma cidade através da gastronomia. rss

  11. Liliana 12/08/2013 Reply

    Olá, Nicole!
    Primeiro parabéns pelo blog. Estarei em Berlim semana que vem e como é minha segunda visita a cidade, pensei em fazer um bate e volta para alguma cidade próxima. A primeira opção, e mais óbvia, seria Potsdam. Mas honestamente as fotos da cidade não me cativaram… O palácio é realmente maravilhoso? Pensei primeiro em Dresden que quero conhecer desde sempre, mas o tempo de viagem me desanimou para um bate e volta. Depois pensei em Schwerin, que é linda de morrer e dá para chegar com 1:30 de Berlim.O único problema é que parece que para ir a Schwerin eu teria que comprar a passagem desde já para ficar barato e eu queria decidir isso ao chegar em Berlim. O que voce acha? Potsdam é realmente imperdível? Ou Schwerin é tão linda que já vale a pena reservar? Ou esse negócio do preço ser mais caro um dia antes é loucura minha? Desculpe pelas mil perguntas e por perguntar isso aqui neste post, não encontrei outro mais adequado. Obrigada!

  12. sergio 21/03/2015 Reply

    onde comprar passagem para esta cidade,como o trem se separa em q cidade descer obrigado valeu

    • Nicole 21/03/2015 Reply

      Olá Sérgio, no próprio texto no final diz assim:
      “O trem que vai pra Quedlinburg é o mesmo que vai pra cidade de Thale (é só ficar no vagão da frente do trem, pois eles se separam no meio do caminho).
      Custa 15 euros só a ida, 19 euros ida e volta no mesmo dia, 25 euros ida e volta em dias diferentes. Duas pessoas (também com crianças até 14 anos) podem comprar o Familienticket (mesmo se não forem parentes) e viajam por 29 euros para ida e volta no mesmo dia ou 35 euros para dias diferentes (para os dois adultos juntos). Os bilhetes só podem ser adquiridos dentro do trem.
      Os preços continuam os mesmos 😉

  13. Joana Soares 01/05/2015 Reply

    Oi Nicole.

    Só não consegui entender onde a gente pega o trem e quais os horários de saída… Você tem essa informação?

    Muito obrigada, seu blog tem me ajudado muito a preparar minha viagem!

    • Nicole 04/05/2015 Reply

      Oi Joana, para o trem da Veolia tem um flyer com os dias e horários (sábados e domingos apenas), aqui.
      Mas atualmente é possível ir também com a DB fazendo uma troca em Magdeburg, dá uma olhadinha por lá e no nosso post ensinando tudo.
      Além do mais, hoje em dia tem até ônibus fazendo o trajeto. (Vou até atualizar aqui o post com as opções).
      Abraços!

  14. Joana Soares 04/05/2015 Reply

    Socorro, Nicole, não consigo entender o flyer! Se vc puder me indicar um horário no início da manhã e onde pego o trem de ida no sábado (na Alexanderplatz, se for uma opção pelo que deduzi, estaria ótimo!) e um horário no final do dia de retorno e onde pego lá em Quendlimburg eu ficaria muito feliz!

    Parece que o trem da Veolia tem um preço mais vantajoso, né? Especialmente para um casal… Vc saberia me dizer qual o tempo de viagem?

    Sou-lhe muito grata pela atenção! Grande abraço!

    • Nicole 04/05/2015 Reply

      Sábado na Alexanderplatz às 07h12 (chega 10h23) e volta 17h28 de Quedlinburg. Aí você chega antes e procura lá a plataforma, o número do trem é 80200. Custa 29 euros ida+volta pro casal com o Family ticket.
      Abraços!

  15. Joana Soares 04/05/2015 Reply

    Vejamos se estou certa:

    IDA: sentido Berlin > Harz, coluna Berlin > Thale:
    Devo pegar na Alexanderplatz, às 7h12, chego em Quendlimburg às 10h23.

    VOLTA: sentido Harz > Berlin, coluna Thale > Berlin
    Pego em Quendlimburg Às 17h28, chego na Alex às 20h47.

    Ou seja, são 3 horas de viagem.

    Para pegar o trem na Alex, onde devo ir? Pelo que li tem várias estações por lá. Existe uma forma de eu localizar essa estação sem me perder, rs? Obrigada!!!

    • Nicole 04/05/2015 Reply

      Oi Joana, certíssima.
      Só existe uma estação na Alexanderplatz, que é a própria Alexanderplatz. Você tem só que procurar a plataforma. Chega antes por lá.. e o ticket compra no trem.

  16. Joana Soares 04/05/2015 Reply

    Obrigada, querida! Que o universo lhe devolva em dobro sua generosidade!

    • Nicole 05/05/2015 Reply

      Por nada, Joana 😉 Deus te ouça. Tenha uma ótima viagem!

  17. Luciane Bindes 10/08/2016 Reply

    Amamos a dica de Quendlinburg! Foi incrível e mágico conhecer esse lugar, apesar de pouco tempo lá aproveitamos e curtimos o máximo, inclusive provamos o cheesecake do cafe Vincent, magnífico! Parabéns pelo trabalho de vocês e obrigada por compartilhar tanto conhecimento e dicas preciosas! Abraço

    • Author
      Pacelli 11/08/2016 Reply

      Olá, Luciane. Que coisa boa de ler. Muito bom saber que nossas dicas ajudam nossos leitores a ter essas inesquecíveis experiências. Chega deu vontade de ir lá agora e comer um Cheesecake.
      Abraço

  18. Thamires Lima 28/04/2017 Reply

    Olá! Gostaria de saber se preciso ficar no vagão da frente ou de trás do trem para ir para Quedlinburg.

    Aguardo a resposta 😀

    • Nicole 29/04/2017 Reply

      Olá, Thamires, se você for com a Deutsche Bahn, tanto faz.
      Se você for com o trem da Veolia que escrevemos no post, você deve ficar no vagão da frente.
      Boa viagem!

  19. sergio 03/06/2017 Reply

    existe outro horário para o deustcheban ou e omesmo q veolia

  20. Maria jose benevides 02/11/2017 Reply

    Adorei este lindo passeio neste bela cidade espero conhecer quaMarando estiver aí. Parabéns a este lindo casal Pacelli e Nicole pelo belo serviço prestado a nós Brasileiros

    • Nicole 10/11/2017 Reply

      Com certeza você conhecerá, já está programado! 🙂
      Beijos!

  21. Ellen 11/11/2017 Reply

    Hallo, Pacelli. Gostei mto do seu texto e da bela apresentação de Quedlinburg. Parabéns!

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*